Basic principles of ethics

De acordo com Loch (2002), a bioética surgiu na década de 70 a partir da necessidade de se investigar casos éticos que emergiam da prática de assistência à saúde. A bioética é um estudo sistemático das dimensões morais e das condutas humanas, e se divide em quatro princípios básicos: não maleficência, beneficência, respeito à autonomia e justiça, sendo que todos esses princípios visam o bem-estar do paciente.

No princípio da não maleficência o profissional tem o dever de não causar danos ao seu paciente, ou o menor dano possível com finalidades benéficas para o mesmo. Dessa forma todos os atos e ações do profissional devem ser seguradas de que não haverá riscos a vida do paciente e sempre que o dano for um meio para se alcançar o benefício, melhores terão de ser as justificativas do profissional.

O princípio da beneficência descreve que a obrigação moral do profissional é ir além da não maleficência, ou seja, além de não causar danos ao paciente, o profissional deve proporcioná-lo bem estar e melhora da qualidade de vida.

No princípio do respeito à autonomia as decisões do paciente devem estar em primeiro lugar, ou seja, o profissional deve ter em mente que o seu paciente tem total autoridade sobre sua vida e as decisões tomadas. Esse princípio é de extrema importância para o fisioterapeuta, pois evidencia o cuidado que devemos ter em sempre informar o paciente sobre os procedimentos que serão realizados e sempre pedir licença para tocá-lo, uma vez que ele deve autorizar todos os procedimentos.

Por fim temos a justiça, que mostra que o paciente deve ser tratado de forma justa, equitativa, igualitária, ou seja, todo paciente deve ser tratado com decência e dignidade.

Referências:     

LOCH, Jussara de Azambuja. Princípios da bioética. Disponível em <http://www.pucrs.br/bioetica/cont/joao/principiosdebioetica.pdf&gt;. Acesso em 08 de março de 2017.

SILVA, Carlos Henrique Debenedito. Princípios da bioética: Congresso Brasileiro de Nutrição Oncológica. Disponível em <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/palestras/cancer/principios_bioeticas.pdf&gt;. Acesso em 08 de março de 2017.

Advertisements

2 Replies to “Basic principles of ethics”

  1. Hi.
    You’ve done lots if research and show good understanding of the topic. I like that you relate ‘respect for autonomy’ to physiotherapy, but I think it would be good to touch on physiotherapy with all four basic principles.
    Have you ever been in a situation where you’ve seen any of these principles, of a patient, being challenged? And what would you do if you were put into this situation? Would you approach the person, a fully qualified doctor or physiotherapist, for example?
    Kind regards
    Chnatal Hilliar
    UWC

    Liked by 1 person

    1. Hi, thanks for commenting on the post!
      I referred in particular to the autonomy for our closeness to the patient’s body, his feelings and longings, but physiotherapy must be based on all four principles, beneficence, non-maleficence, autonomy and justice, as defined by our Code of Ethic.
      Unfortunately, I still do not have a clinical experience, but I believe that every good professional should be based on the pillars of bioethics to proceed with a good care.
      Note: I’m sorry if something does not make sense in the text, I do not speak fluent English and I used google translate to answer it.

      Liked by 1 person

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s